domingo, 11 de julho de 2010

Empresa maranhense de call center será inaugurada este mês


O mercado terceirizado de call center em franca expansão no Brasil estimulou o empresário cearense Emanuel Caracas, há mais de 30 anos radicado no Maranhão, a investir no segmento, cujo empreendimento – Gabryella Call Center – deverá ser inaugurado este mês. Ex-proprietário das Lojas Gabryella - do varejo de eletrodomésticos e eletrônicos -, Caracas realizou um trabalho de conhecimento de clientes e parceiros para desenvolver um projeto que fosse inovador no ramo de call center.

Esse interesse pela diversificação nos negócios ocorreu desde a transição do Grupo Gabryella, em 2008, quando as lojas de eletrodomésticos e eletrônicos foram oficialmente vendidas ao Grupo City Lar.

“Nossa experiência vem da estrutura que montamos internamente para atender às necessidades das Lojas Gabryella. Após a passagem das lojas para outro grupo, fomos procurados por antigos parceiros, que incentivaram a concretização do projeto. Para começarmos com qualidade, fizemos uma ampla pesquisa de mercado e planejamos uma mega estrutura. Assim nasceu a Gabryella Call Center”, explicou o empresário.

O Maranhão, tímido até o momento no setor de call center, entra como concorrente direto de grandes empresas nacionais com o novo empreendimento. “Já começamos como a maior empresa de call center da região Norte, atendendo empresas de grande porte e em nível nacional. A nossa meta é ficar entre os maiores do Brasil. Para tal, não pouparemos investimento em qualidade e mão-de-obra”, enfatizou Emanuel Caracas.

No primeiro momento, serão criados 800 empregos diretos em todas as áreas do call center e, segundo o empresário, a proposta do programa Primeiro Emprego será usada pela empresa. “Não exigimos experiência. Todos passarão por curso de formação. Para isso, estamos montando uma equipe especializada para oferecer treinamento aos nossos colaboradores. Uma das coisas que mais me impressionam no maranhense é a vontade de aprender. Por isso não teremos problemas para montar uma boa equipe de trabalho”, enfatizou Caracas.

Para ganhar espaço num segmento competitivo, a empresa foi estruturada com equipamentos modernos, trabalhando com novas tecnologias para garantir o melhor relacionamento com o cliente. “O setor de call center exige sempre inovação. Toda a nossa parte operacional foi desenvolvida com tecnologia de ponta, o que garante segurança e bons resultados para todos os agentes envolvidos no processo”, ressaltou.

Saiba mais

As novas regras do Serviço de Atendimento ao Consumidor, que entraram em vigor no fim de 2008, estimularam as empresas a realizarem investimentos em melhorias que não aconteceriam tão cedo de outra maneira.

Quanto à estrutura física, por exemplo, em todo o país foi observada uma evolução de um ambiente de uma única instalação, com tecnologia baixa, para grandes organizações com serviços amplos e centros de grande volume que usam plataformas de tecnologia sofisticadas.


Criação de empregos no setor teve aumento de 550% em uma década


Os números que envolvem os negócios de call center são animadores. Nos últimos 10 anos, houve crescimento nacional de 550% na contratação de profissionais. A expectativa de expansão para 2010 é que o setor atinja cerca de 1,2 milhão de pessoas em todo o Brasil e faturamento de R$ 23,6 bilhões. Tais valores colocam o setor de call center como um dos segmentos de maior expansão na economia brasileira.

No Maranhão, nos últimos 12 meses, houve um acréscimo de 2,04% no nível de emprego, um saldo de 6.931 postos de trabalho e o setor de serviços é um dos responsáveis pela alta na taxa de empregos, revelando o impacto positivo na economia local oriundo de empreendimentos instalados no estado. Em relação ao setor de call center, a expectativa é que agora o ritmo de contratações siga em ritmo acelerado. Boa infra-estrutura telefônica disponível e necessária para esse tipo de serviço o estado já tem.

Estudo divulgado pela consultoria IDC Brasil mostra que após o forte crescimento registrado em 2008, o mercado de serviços de call center atravessou 2009 com muitos ajustes, tanto na reestruturação das empresas como no investimento em capital humano qualificado, e nem mesmo a crise econômica mundial freou o setor, que cresceu 16,7% em relação ao ano anterior. Segundo o estudo, as perspectivas econômicas para o mercado brasileiro de call center são otimistas para os próximos anos.

Um dos indicativos de bons ventos para o segmento é, sem dúvida, a criação de empregos, que também é crescente. As projeções estimam um ritmo acelerado no aumento das posições de atendimento, superando o patamar de 200 mil. Com isso, o setor garante o posto de maior empregador do país.

Saiba mais

O mercado brasileiro de serviços de call center faturou R$ 7,8 bilhões em 2009, o que representa um crescimento de 16,7% em relação a 2008, de acordo com levantamento divulgado pela IDC Brasil.

No estudo "Call Center Services no Brasil", a consultoria destaca que o ano passado marcou um período de consolidação e reestruturação no setor.

Após um período de suspense vivido em 2008, com a aplicação da Lei do Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) e das regras de bloqueio ao telemarketing, além da fragilidade financeira mundial, os resultados do setor em 2009 eram incertos, observa a consultoria.

O número de posições de atendimento próprias instaladas no Brasil cresceu 10% em relação a 2008, atingindo 153,8 mil posições no ano passado, informa o estudo.

A expansão, segundo a IDC, reflete o crescimento da demanda por call centers terceirizados, principalmente em crédito e cobrança, retenção e serviços de back-office (departamentos que mantêm nenhum ou pouco contato com os clientes).

A maior concentração de posições de atendimento está em São Paulo, seguido por Rio de Janeiro e Minas Gerais, informa a consultoria.

Ainda de acordo com a IDC, as perspectivas econômicas para o mercado brasileiro de call center são otimistas para os próximos anos. Muitos projetos de terceirização que haviam sido colocadas na gaveta em 2008/2009, começam a ser retomados este ano.

2 comentários:

Iara Silva disse...

Sim,eu li no jornal Aqui Maranhão que voces estariam contratando pessoas com ou sem experiência para o preenchimenro de inumeras vagas só que aqui no site não encontro nada que fale sobre o emprego como por exemplo preencher algum cadastro ou ligue para o número .... por favor mande uma resposta urgente

Iara Silva disse...

Sim,eu li no jornal Aqui Maranhão que voces estariam contratando pessoas com ou sem experiência para o preenchimenro de inumeras vagas só que aqui no site não encontro nada que fale sobre o emprego como por exemplo preencher algum cadastro ou ligue para o número .... por favor mande uma resposta urgente