domingo, 17 de junho de 2012

Refinaria do Ceará fica fora dos planos da Petrobras.




O detalhamento do plano de negócios 2012-2016 que a Petrobras divulgará a partir do dia 25 deste mês deve mostrar que a refinaria Premium II, do Ceará, orçada em cerca de US$ 10 bilhões, ficou de fora dos compromissos da empresa para os próximos anos. O projeto é responsabilidade da área de refino, a que mais sofreu perda de investimentos, com queda de US$ 5,1 bilhões em relação ao plano do ano passado.


A construção da Premium 2 é um dos projetos retirados do plano de negócios por ainda não ter sua viabilidade garantida. A informação não consta do documento apresentado pela Petrobras nesta semana, em versão resumida, uma novidade em relação à divulgação de anos anteriores, quando os investidores tiveram acesso imediato ao detalhamento do plano estratégico da empresa.

A companhia informou em nota que os detalhes sobre o investimento de US$ 236,5 bilhões para o quinquênio, anunciado quinta-feira, seguirá um "calendário de eventos" que só se inicia no dia 25. Até lá, não será conhecida a íntegra do plano.

Segundo fontes ligadas à empresa, a Petrobras precisou antecipar a divulgação, prevista para julho ou agosto, por pressão do governo (controlador da companhia), que confia nos cofres da companhia para alavancar o nível de investimento no País e ajudar a impulsionar a economia.

Agora, a equipe técnica da Petrobras se empenha para terminar de planejar o empreendimento.

Refinaria ainda pode sair

A estatal não desistiu da refinaria, mas sua retirada do plano de negócios é reflexo direto do estilo que a presidente da empresa, Graça Foster, está imprimindo na empresa. Obcecada por metas e prazos, Graça quer evitar que a Petrobras volte a descumprir a previsão de investimento e produção, como aconteceu no ano passado, para frustração do mercado. O plano de negócios é um compromisso da empresa com investidores para um prazo de cinco anos.

Serão retirados projetos que não têm a viabilidade garantida. No caso da refinaria, a Petrobras ainda não recebeu autorização para sua instalação no terreno, que fica em área indígena, e teria decidido se descomprometer com o prazo e com o investimento. A refinaria, com capacidade para 300 mil barris por dia, iniciaria produção em 2017 e parte dos cerca de US$ 10 bilhões entrariam no plano de negócios 2012-2016. As informações são do Estadão.
Em nota, a assessoria de imprensa da Petrobras disse a O POVO Online que não comentará. "A Petroras só irá detalhar e comentar o Plano de Negócios a partir do dia 25, quando teremos uma agenda de divulgação do Plano", segundo a nota.
Redação O POVO 

Nenhum comentário: